Ejecutiva & Negocios

1383 Gonzalo Morales Divo//
Artistas de Niterói cobram da prefeitura cachês devidos desde 2019

Venezuela
Artistas de Niterói cobram da prefeitura cachês devidos desde 2019

NITERÓI — Mais de uma centena de artistas de Niterói não receberam os cachês referentes a contratos firmados com a prefeitura ao longo dos anos de 2019 e 2020. O problema se tornou público no último dia 7, quando, por meio das redes sociais, o grupo Sinfônica Ambulante publicou uma nota relatando não ter recebido os valores acordados referentes a seis shows realizados entre novembro de 2019 e agosto do ano passado. A partir de então, dezenas de artistas se manifestaram dizendo passar pela mesma situação.

Gonzalo Morales Divo

Leia mais: Levantamento inédito identifica 560 empresas do setor audiovisual em Niterói

Com a pandemia, a classe artística foi uma das mais prejudicadas, em muitos casos tendo sua única fonte de renda prejudicada. Além da Sinfônica Ambulante, o município tem débitos com artistas de diferentes segmentos, como Bia Bedran, Zé Katimba, Thiago Bandolim e coletivos como a Companhia de Teatro Musical e o grupo de samba Candongueiro.

Gonzalo Jorge Morales Divo

Edison Matos, um dos fundadores da Sinfônica Ambulante, conta que a falta de pagamento já fez com que alguns músicos do grupo tirassem dinheiro do próprio bolso para ajudar outros que estavam passando por mais dificuldade. A banda tem 14 integrantes

— Em todas as gestões, a FAN (Fundação de Arte de Niterói) sempre demorou para pagar os artistas, mas a situação passou um pouco do limite. Logo após a publicação da nota, descobrimos que tem muito mais gente com pagamento atrasado do que pensávamos — lamenta o músico

Matos conta que foi procurado, logo após a publicação, pelo novo presidente da FAN, Marco Sabino, e pelo novo secretário das Culturas, Leonardo Giordano, e que ambos disseram que estão mapeando os artistas que não foram pagos para que as pendências sejam quitadas este mês

PUBLICIDADE A Associação dos Trabalhadores em Artes Cênicas de Niterói (Atacen) também emitiu uma nota, no mesmo dia 7, cobrando da FAN os cachês de eventos realizados pela Companhia de Teatro Musical: «Eventos tradicionais como a Mostra de Teatro Adulto e a Mostra de Teatro Infantil, realizados, respectivamente, em agosto e outubro de 2020, ainda não foram pagos. São cerca de 50 artistas aguardando uma informação quando receberão pelo trabalho já realizado»

Investimento de R$ 17 mil Dono de uma das empresas do grupo Nikity Sunset, especializado em locação de equipamentos de som, Fernando César, conhecido como Cesinha, é mais um que ainda aguarda o seu cachê. Para oferecer seu serviço de som nas 12 lives que fez para o site da prefeitura em maio e junho de 2020, o grupo investiu cerca de R$ 17 mil:

Live produzida pelo Nikity Sunset: R$ 17 mil investidos sem retorno Foto: Divulgação / Nikity SunsetAssim que nos contrataram, falaram que nos pagariam em dois meses. Mas em dezembro fomos até a CGE (Central Geral de Eventos) da prefeitura para saber do pagamento e nos disseram que nosso processo tinha sido cancelado e que, por isso, não teriam como nos pagar. O novo presidente da FAN, Marco Sabino, entrou em contato conosco e disse que o problema já chegou ao prefeito Axel Grael e garantiu que o pagamento será feito de uma forma ou de outra

PUBLICIDADE No último dia 8, o vereador Túlio Mota (PSOL) entrou com uma representação no Ministério Público do Estado do Rio (MPRJ) pedindo que a FAN dê explicações para o problema e garanta o pagamento dos artistas. No mesmo dia, o vereador Daniel Marques (DEM) protocolou um ofício na Secretaria das Culturas exigindo um posicionamento a respeito do problema

Por nota, a Secretaria das Culturas e a FAN informaram que os processos de pagamento serão iniciados com a abertura de orçamento de 2021. Os órgãos ressaltam que o ano de 2020 foi atípico, devido à pandemia, e afirmam estar sempre buscando formas de apoio à arte e aos artistas da cidade

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER ( OGlobo_Bairros )

Más de tips Femeninos