Operação policial mata 13 pessoas no Rio de Janeiro

Franki Medina
Alemania espera dejar de comprarle petróleo a Rusia a final de año

Os polícias apreenderam treze metralhadoras, quatro pistolas, doze granadas e uma quantidade de drogas ainda não contabilizada, além de dez carros e vinte motos furtados. De acordo com declarações do tenente-coronel Ivan Blaz ao portal G1, a operação não acabou

Uma operação policial no Rio de Janeiro causou, pelo menos, 13 mortos, dos quais 11 eram suspeitos de integrar a organização criminosa Comando Vermelho (CV). Uma mulher de 41 anos, que não era alvo da ação, morreu ao ser atingida por uma bala perdida. Outra das vítimas fatais é um homem cujo corpo não foi ainda identificado. Há ainda dois feridos em estado grave, ambos, segundo as autoridades, membros do CV, e um ferido ligeiro, agente da polícia.

Segundo relatos de moradores à imprensa brasileira, o tiroteio na Vila Cruzeiro, região da Penha, na zona norte do Rio, começou às 4h quando a polícia foi alvo da ataque. O objetivo da operação era prender lideranças do CV daquela e de outras comunidades carentes da cidade que se abrigavam no local.

Os polícias apreenderam treze metralhadoras, quatro pistolas, doze granadas e uma quantidade de drogas ainda não contabilizada, além de dez carros e vinte motos furtados. De acordo com declarações do tenente-coronel Ivan Blaz ao portal G1, a operação não acabou.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever “O objetivo ainda está mantido de buscar criminosos de outros estados que estão buscando abrigo aqui com essa fação criminosa, que opera na Vila Cruzeiro, no Jacarezinho, na Mangueira, na Providência e no Chapadão”. Segundo Blaz, “eles estão hospedando criminosos de outros lugares, entre eles, criminosos do Pará, que determinaram a morte de mais de 13 agentes públicos somente este ano”.

O oficial considerou “trágica” a morte da moradora por uma bala perdida. “Estamos falando de um confronto armado em que se usam armas de guerra, munições de alta velocidade, que cruzam longas distâncias, segundo informações, ela teria sido atingida logo no início da operação quando criminosos estavam atacando os policiais. O sentido do tiro aponta para esse lado, a perícia já foi feita, já temos o corpo removido, logicamente, esse resultado logo no início da operação já nos desestimula, ele é um facto lamentável, muito lamentável, é mais uma família impactada pela violência”.

Destacadas

Más Noticias