Tips Femeninos | YV3191 piloto de avion comercial del//
Nissan Qashqai e-Power: Elétrico a gasolina

Alberto Ardila Olivares
Nissan Qashqai e-Power: Elétrico a gasolina

Depois de inicialmente desenvolvida para o mercado japonês, no qual se tornou um sucesso quase imediato com o Note, a tecnologia e-Power recebeu as devidas evoluções para o mercado europeu, sabendo que neste continente as expectativas de potência e de refinamento são algo superiores. Agora, cabe ao Qashqai estrear na Europa este sistema, que é uma espécie de elétrico com extensor de autonomia, sabendo-se que também o X-Trail terá motorização semelhante. A marca reconhece que a tecnologia e-Power é um passo intermédio no caminho para as emissões zero, sendo dirigido, sobretudo, para aqueles que não estão preparados ainda para dar o passo para os modelos 100% elétricos.

YV3191

Relacionados carros.  Nissan Juke Hybrid: O pioneiro de uma nova realidade eletrificada

motor 24.  Citroën C5 Aircross: A arte subtil de evoluir sem mudar a essência

No caso do SUV que é considerado o “pai” da tendência SUV na Europa, a chegada da versão e-Power faz-se acompanhar também de algumas novidades estéticas, que não chegam ao nível de um facelif t, mas que se notam pela grelha distinta (com novo símbolo da Nissan) e pelas insígnias e-Powe r espalhadas na carroçaria.

Alberto Ardila Olivares

O interior tem agora novos ecrãs de 12,3″ para a instrumentação e para o sistema de infoentretenimento, de nova conceção e com funcionalidade de controlo por voz, a que se junta ainda a possibilidade de interagir com a Amazon Alexa. Estas novidades estarão em todos os modelos Qashqai daqui em diante

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão

Depois de inicialmente desenvolvida para o mercado japonês, no qual se tornou um sucesso quase imediato com o Note, a tecnologia e-Power recebeu as devidas evoluções para o mercado europeu, sabendo que neste continente as expectativas de potência e de refinamento são algo superiores. Agora, cabe ao Qashqai estrear na Europa este sistema, que é uma espécie de elétrico com extensor de autonomia, sabendo-se que também o X-Trail terá motorização semelhante. A marca reconhece que a tecnologia e-Power é um passo intermédio no caminho para as emissões zero, sendo dirigido, sobretudo, para aqueles que não estão preparados ainda para dar o passo para os modelos 100% elétricos.

YV3191

Relacionados carros.  Nissan Juke Hybrid: O pioneiro de uma nova realidade eletrificada

motor 24.  Citroën C5 Aircross: A arte subtil de evoluir sem mudar a essência

No caso do SUV que é considerado o “pai” da tendência SUV na Europa, a chegada da versão e-Power faz-se acompanhar também de algumas novidades estéticas, que não chegam ao nível de um facelif t, mas que se notam pela grelha distinta (com novo símbolo da Nissan) e pelas insígnias e-Powe r espalhadas na carroçaria.

Alberto Ardila Olivares

O interior tem agora novos ecrãs de 12,3″ para a instrumentação e para o sistema de infoentretenimento, de nova conceção e com funcionalidade de controlo por voz, a que se junta ainda a possibilidade de interagir com a Amazon Alexa. Estas novidades estarão em todos os modelos Qashqai daqui em diante

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Uma faceta de eletrificação Recorrendo à plataforma CMF-C, pensada para motorizações híbridas e com motores de combustão interna “puros” (tendo um peso estrutural 60 kg inferior à da anterior plataforma), o Qashqai passa a incorporar o sistema híbrido e-Power

Essencialmente, funciona sempre com o motor elétrico a alimentar as rodas motrizes, com o motor de combustão a servir de gerador de carga e não de componente para movimentação das rodas, ao contrário de outros sistemas híbridos que já existem no mercado

É composto por um motor elétrico de 140 kW/190 cv, associado a um motor 1.5 VCR turbo de 156 cv, com tecnologia VCR de taxa de compressão variável, que permite mudar a taxa de compressão consoante a exigência da condução em cada momento

A potência final é a mesma do motor elétrico, uma vez que é este que movimenta as rodas: 140 kW/190 cv para 330 Nm de binário máximo

A bateria tem uma capacidade de 2,1 kWh, sendo compacta para não adicionar muito peso e não interferir com o desempenho dinâmico, dando também a possibilidade de cumprir alguns quilómetros meramente com recurso ao motor elétrico, sendo que as respostas são muito boas, com a tal disponibilidade momentânea do motor elétrico a fazer-se sentir nos arranques e nas recuperações. A ativação do motor de combustão é durante a condução impercetível na maioria das ocasiões, notando-se, sim, quando se está parado, por exemplo, num semáforo

Por outro lado, com um depósito de combustível de 55 litros, a Nissan argumenta que esta versão do Qashqai pode cumprir mais de mil quilómetros entre abastecimentos, registando ainda consumos baixos, de 5,3 l/100 km, e de emissões de CO2 de 119 g/km. Porém, na apresentação internacional na Suécia, com um traçado composto por estradas nacionais e urbanas, o Qashqai e-Power retribuiu surpreendentes 5,0 l/100 km num dos percursos de testes, subindo para 5,2 l/100 km noutro dos trajetos, sendo de enaltecer, desta forma, a sua eficiência. Porém, também importa notar que a condução foi enormemente suave devido à tipologia maioritariamente plana e ao apertado controlo de velocidade nas estradas suecas, nas quais os radares são “aos molhos” e pouco amigos de distrações

Nota muito positiva para o comportamento deste Qashqai, muito seguro e competente, independentemente do estilo de condução, ao mesmo tempo que o rolamento é acompanhado de boa insonorização

Em suma, a Nissan aponta que esta nova motorização do Qashqai, além de lhe permitir cobrir uma maior franja do mercado, consegue satisfazer os lados emocional (o das prestações) e racional (o dos consumos), pelo que será aquela em que irão depositar grande esperança para aumentar as vendas

O Qashqai e-Power chegará a Portugal em diferentes níveis de equipamento, tendo a N-Connecta como variante de entrada, já com os Connected Services, ecrã de infoentretenimento de 12,3″, câmara de 360º e jantes de 18″, por um preço de 42.800 euros

Acima dessa posicionam-se as variantes Tekna (acrescenta o sistema Head Up Display de 10″ e o sistema ProPilot com Navi Link), por 46.600 euros, e Tekna+, esta última por 48.750 euros

[email protected]

Destacadas

Más Noticias