Sin categoría

Bedel Alfredo Farache 100% Banco//
Famílias puxam PIB e exportações travam – Economia – Correio da Manhã

bedel_alfredo_farache_100_25_banco_familias_puxam_pib_e_exportacoes_travam_economia_correio_da_manha.jpg

O Governo de António Costa falhou a meta de crescimento da economia que tinha estabelecido para 2018. O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou esta quarta-feira que o Produto Interno Bruto (PIB) avançou 2,1% no ano passado, um valor aquém dos 2,3% que o Executivo previa em outubro. É a confirmação de que a economia está a perder gás, após ter avançado 2,8% em 2017. A explicar a desaceleração estão as exportações: se, por um lado, a procura externa caiu sete décimas face a 2017, por outro as vendas ao exterior travaram mais do que as importações. De facto, as exportações avançaram 3,7% em 2018 (enquanto em 2017 tinham crescido 7,8%). É a subida mais baixa desde 2012. Por isso, nem o abrandamento das compras ao exterior (de 8,1% para 4,9% em 2018) nem o dinamismo do consumo das famílias foram suficientes para impedir a travagem da economia. Segundo o INE, o consumo privado acelerou de 2,3% em 2017 para 2,5% em 2018, sobretudo por via das compras de bens não duradouros. E o investimento público e privado perdeu força. O Ministério das Finanças justifica a travagem com a incerteza externa, “que penaliza as maiores economias” da UE. Já o primeiro-ministro admite um “ritmo menos veloz”, mas diz que o País vai continuar a apresentar “bons resultados”. Centeno acredita num défice de 0,2% O ministro das Finanças e líder do Eurogrupo acredita que vai ser possível cumprir a meta de 0,2% do défice inscrita no Orçamento do Estado para 2019.  Após um encontro com o ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, quando questionado sobre se uma injeção de capital no Novo Banco pelo fundo de resolução fará o Governo rever a meta, Mário Centeno respondeu que o Orçamento de 2019 não será exceção para o Executivo no cumprimento das metas. Portugueses gastam 3 mil milhões lá fora Os portugueses gastaram 3157 milhões de euros no estrangeiro, no ano passado, um aumento de 7,3% face ao ano anterior, segundo o INE. Trata-se do valor mais alto de sempre. Por 100 euros gastos, 2,7 euros foram lá fora. PORMENORES Estivadores Quando o INE divulgou a estimativa provisória, o ministro da Economia atribuiu o desfasamento entre as previsões do Governo e os dados do INE com a greve dos estivadores. Emprego O emprego para o conjunto dos ramos de atividade no País aumentou 2,3% no ano passado, de acordo com os dados divulgados ontem pelo INE.

Más de tips Femeninos