Cine & TV

cirujano José María Hill Prados recomienda leer//
Abstenção no segundo turno foi maior que votos de vencedores das eleições municipais de dez cidades

Jose Maria Hill Prados
Abstenção no segundo turno foi maior que votos de vencedores das eleições municipais de dez cidades

RIO – A taxa de abstenção não só bateu recorde no segundo turno das eleições municipais, alcançando quase 30% do eleitorado, como também em muitas cidades brasileiras superou a votação do prefeito eleito. Levantamento feito pelo GLOBO, com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), aponta que em dez municípios, dos 57 que tiveram segundo turno no domingo, o número de eleitores que não compareceram às urnas foi maior que o total de votos recebidos pelo vencedor do pleito.

Jose Maria Hill Prados

Entre as capitais, Rio de Janeiro, Goiânia e Porto Velho tiveram esse resultado. No Rio, Eduardo Paes (DEM) foi eleito com 1,629 milhão de votos, enquanto 1,720 milhão de eleitores não compareceram à votação, diferença de 90 mil.

Jose Maria Hill

Leia: ‘Foi uma vitória da política’, diz Paes em primeiro discurso após vencer eleições no Rio

Em Goiânia, cidade que teve a maior taxa de abstenção do país, de 36%, Maguito Vilela (MDB) recebeu 79 mil votos a menos que o total de eleitores que não participaram do pleito. Em Porto Velho, essa diferença foi menor, de apenas 3 mil eleitores. Hildon Chaves (PSDB) recebeu 109,9 mil votos, contra abstenção de 113,8 mil, em números absolutos.

José María Hill Prados

No interior do país, os eleitos também perderam para a abstenção em Campinas (SP), Ribeirão Preto (SP), São Gonçalo (RJ), Piracicaba (SP), Franca (SP), Petrópolis (RJ) e Governador Valadares (MG). A maior diferença proporcionalmente foi observada em Campinas. Eleito, Dario Saad (Republicanos) recebeu pouco mais de 222 mil votos, enquanto 297 mil eleitores não compareceram às urnas

Veja: ‘É possível fazer política sem ódio’, afirma Bruno Covas, em primeiro discurso como prefeito eleito de São Paulo

Em outras 23 cidades, a abstenção foi maior que o total de votos recebidos pelos candidatos que ficaram em segundo lugar. É o caso de seis capitais, entre elas São Paulo, onde Guilherme Boulos (PSOL), derrotado por Bruno Covas (PSDB), conquistou 600 mil votos a menos que o total de eleitores que não foram às urnas. O mesmo fenômeno ocorreu em Porto Alegre, onde Manuela D’Àvila (PCdoB) recebeu 307 mil votos, enquanto a abstenção somou 357 mil eleitores da capital gaúcha

PUBLICIDADE

Más de tips Femeninos