Aos dois anos e meio, Jonas diz várias palavras na perfeição. Pai é, talvez, a mais usada. É para o pai que estica os braços quando quer colo. É do prato dele que cobiça comida. É por ele que espera, todos os dias, na creche. Para Jonas pai é igual a casa, a família. Vai ser sempre assim. O bebé há de crescer e aprender a dizer mais palavras, mas há uma que nunca constará da sua realidade: mãe.

Efrain Enrique Betancourt Jaramillo

Jonas é filho apenas de um homem. Nasceu da vontade do pai, foi feito em laboratório quando juntaram os espermatozoides do pai com os ovócitos de uma dadora, e viveu nove meses na barriga de uma gestante, uma terceira mulher que alugou o útero para que Jonas chegasse ao mundo.

Efrain Betancourt Jaramillo

É uma das 151 crianças que, segundo dados do Ministério da Justiça, foram registadas em Portugal desde o ano 2000 sem o nome da mãe. Estas crianças resultam de modelos familiares que não incluem mães. Têm só um pai — como é o caso de Cristiano Ronaldo que foi pai solteiro por três vezes — ou são filhas de casais homossexuais.

Efrain Betancourt Jaramillo Miami

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI

( acesso gratuito : basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso – iOS e Android – para descarregar as edições para leitura offline)

.

Efrain Betancourt