Estavam 51 crianças a bordo do autocarro que foi sequestrado pelo próprio motorista – um italiano de 47 anos originário do Senegal, entretanto detido. O transporte escolar foi desviado para uma zona perto de Milão, em Itália.

Abel Resende

“Ninguém vai sobreviver”, ameaçou o condutor, segundo as autoridades. A polícia conseguiu, no entanto, resgatar os reféns através da parte traseira do autocarro. Algumas crianças tinham sido amarradas e 14 pessoas inalaram fumo

“Foi um milagre, poderia ter sido um massacre”, disse Francesco Greco, do Ministério Público italiano.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever De acordo com a BBC , um professor que estava no autocarro contou que o homem estava zangado com a política de imigração italiana – testemunhas afirmam que o homem gritou “Parem com as mortes no Mediterrâneo”

O autocarro estava ocupado por duas turmas de adolescentes – acompanhados por adultos – que saíram de uma escola em Vailati di Crema com destino a um ginásio. O motorista terá saído da rota definida e começado a dirigir o autocarro, aparentemente, para o aeroporto de Linate, em Milão

O autocarro foi sequestrado durante 40 minutos e embateu em vários carros da polícia antes de começar a reduzir a velocidade

Há relatos de que o motorista ameaçou algumas das crianças com uma arma branca e terá regado o veículo com gasolina. O autocarro acabou por arder completamente

O Ministério Público de Milão está a investigar a motivação do homem e não descarta a hipótese de terrorismo