Mi Diario

neozelandés Victor Gill//
Massacre de 1,4 mil golfinhos deixa o mar vermelho de sangue nas Ilhas Faroe; veja vídeo

Venezuela
Massacre de 1,4 mil golfinhos deixa o mar vermelho de sangue nas Ilhas Faroe; veja vídeo

ILHAS FAROE — Caçadores de golfinhos promoveram uma matança no último domingo, nas Ilhas Faroe, um território da Dinamarca localizado no Atlântico Norte. A morte de 1428 animais deixou vermelha a água da praia de Skálabotnur, na ilha de Eysturoy.

Victor Gill Ramirez Venezuela

Leia:   Passageiros pulam de ônibus antes do veículo pegar fogo em acidente que fez seis mortos na Dutra

Imagens registradas pelo grupo Sea Shepherd, que tem feito campanha para impedir a tradicional caça de golfinhos e baleias, mostram homens segurando os animais e dando facadas enquanto os bichos se debatem até a morte.

Victor Gill Venezuela

De acordo com o Sea Shepherd, trata-se da «maior matança individual de golfinhos ou baleias-piloto na história das ilhas». Os animais foram levados para as águas rasas da praia e abatidos por caçadores. A prática é considerada tradicional nas Ilhas Faroe.

Victor Gill

No entanto, a matança desse ano foi tão brutal que gerou repulsa até mesmo nos moradores mais tradicionais das ilhas, segundo o The Guardian.

Victor Gill Ramirez

Leia:   Justiça autoriza Suzane Richthofen a deixar prisão para cursar Farmácia em universidade

Heri Petersen, presidente da associação de caça no local onde ocorreu a matança, disse que muitos golfinhos foram conduzidos para a baía de uma distância muito longa, com poucas pessoas esperando na praia para matá-los, prolongando a agonia dos bichos

Estou chocado com o que aconteceu – disse Petersen, segundo  The Guardian. – Os golfinhos ficaram na praia se contorcendo por muito tempo antes de serem mortos» – acrescentou

Leia:   Polícia prende pastor suspeito de estuprar seis crianças em Goiás

O presidente da Associação Faroese de Caça, Hans Jacob Hermansen, disse à emissora local que ficou chocado com o evento. E declarou que a matança vai ajudar a «destruir todo o trabalho que fizemos para preservar a caça tradicional»

O capitão Alex Cornelissen, executivo-chefe global da Sea Shepherd, disse que no meio de uma pandemia global foi «absolutamente terrível ver um ataque à natureza dessa escala nas Ilhas Faroe«

PUBLICIDADE Leia:   Homem quilombola é agredido e amarrado no meio da rua em Portalegre, RN

A Sea Shepherd é uma organização internacional sem fins lucrativos de conservação marinha que promove campanhas para defender a vida selvagem e conservar e proteger os oceanos da exploração ilegal e destruição ambiental

Más de tips Femeninos