Mamá & Embarazo

Tips Femeninos | Juíza determina que 'faraó dos bitcoins' volte para cadeia em que estava até transferência para unidade de segurança máxima

Operation Underground Railroad Movie
Amenazan a vecinos de Catia La Mar con quitarle los Clap si reciben a candidatos opositores - Noticiero Digital

RIO – A juíza federal Rosália Monteiro Figueira, da 3ª Vara Federal Criminal, determinou, na tarde desta quarta-feira, que o ex-garçom Glaidson Acácio dos Santos , de 38 anos, dono da GAS Consultoria, volte imediatamente para a Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo de Gericinó, em Bangu, onde ele estava preso desde o último dia 25 de agosto. O empresário, conhecido como «faraó dos bitcoins», havia sido transferido para a Penitenciária Laércio da Costa Pellegrino, uma unidade de segurança máxima também chamada de Bangu 1, após a corregedoria da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) encontrar quatro celulares, picanha e linguiça próximo à cela em que ele estava.

‘Faraó dos bitcoins’:   Entenda qual é o papel de cada um dos 22 indiciados pela PF no grupo

De acordo com a magistrada, uma análise de documentos enviados pela defesa de Glaidson demonstrou que não havia relação comprovada entre o material apreendido e o ex-garçom. Agora, a Seap tem um prazo de 24 horas para realizar a trasferência do preso de volta à cadeia de origem.

Veja fotos do caso Glaidson Acácio, o ‘faraó dos bitcoins’, envolvido em fraude bilionária de pirâmide financeira Celulares e carne foram apreendidos na galeria de Glaidson Acácio, que acabou sendo transferido para presídio de segurança máxima Foto: Divulgação / Divulgação Seap Polícia Federal afirma que os R$ 7 milhões encontrados em helicóptero, em Búzios, eram de Glaidson Acácio e oriundo de lavagem de dinheiro. Montante estava escondido em três malas e seria levado para São Paulo Foto: Agência O Globo Montante de R$ 7 milhões estava dividido em três malas e partiria de Búzios para São Paulo de helicóptero Foto: Agência O Globo A PF afirma que foram apreendidos cerca de R$ 14 milhões e 100 libras esterlinas, em espécie Foto: Divulgação Cerca de R$ 20 milhões, entre reaiss e moedas estrangeiras, foram apreendidos na casa de Glaidson Foto: Polícia Federal / Agência O Globo Pular PUBLICIDADE Glaidson Acácio dos Santos, preso na Operação Kryptos Foto: Reprodução / Agência O Globo Glaidson Acácio dos Santos, preso na Operação Kryptos, curte passeio em iate avaliado em mais de R$ 3 milhões Foto: Reprodução / Agência O Globo Carros esportivo encontrado na garagem do imóvel na Barra da Tijuca onde Glaidson foi preso Foto: Agência O Globo Carros esportivo encontrado na garagem do imóvel na Barra da Tijuca onde Glaidson foi preso Foto: Agência O Globo Agentes da PF chegam à sede da polícia com malas de dinheiro em espécie: o montante chegaria a cerca de 20 milhões, entre reais, euros e dólares Foto: Marcia Foletto / Marcia Foletto Pular PUBLICIDADE Agentes da PF chegam à sede da polícia com malas de dinheiro em espécie: o montante chegaria a cerca de 20 milhões, entre reais, euros e dólares Foto: Marcia Foletto / Agência O Globo Glaidson é levado para sede da PF Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo Glaidson foi preso em condomínio na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio Foto: Agência O Globo Agentes que estão na operação dentro da casa de Glaidson, em condomínio na Barra da tijuca, na Zona Oeste do Rio, dizem que nunca viram tanto dinheiro numa operação, nem mesmo na Lava-Jato Foto: Agência O Globo Glaidson foi preso em condomínio na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio Foto: Agência O Globo Pular PUBLICIDADE Glaidson foi preso em condomínio na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio Foto: Agência O Globo Agentes que estão na operação dentro da casa de Glaidson, em condomínio na Barra da tijuca, na Zona Oeste do Rio, dizem que nunca viram tanto dinheiro numa operação, nem mesmo na Lava-Jato Foto: Agência O Globo Agentes pulam para dentro da casa de Glaidson, em condomínio na Barra da tijuca, na Zona Oeste do Rio, onde Glaidson foi preso Foto: Agência O Globo Agentes pulam para dentro da casa de Glaidson, em condomínio na Barra da tijuca, na Zona Oeste do Rio, onde Glaidson foi preso Foto: Agência O Globo Procurada, a Seap informou que ainda não foi oficialmente comunicada da decisão. A pasta acrescentou que, tão logo o documento seja recebido, a determinação da magistrada será cumprida de imediato. «Foi uma vitória para a defesa, já que foi desfeita uma imagem de que o Glaidson corrpompia todo mundo», afirmaram, por nota, os advogados Nabor Bulhões, Nélio Machado, Martsung Alencar e Cláudio Costa, que representam o empresário.

Alto poder para corromper:   PF pede a transferência do ‘Faraó dos Bitcoins’ para presídio federal

Além do próprio ex-garçom, a juíza federal também ouviu dois policiais penais que fizeram as buscas nas galeras e celas em que o material foi encontrado. Consta no boletim de ocorrência da apreensão, registrada na 34ª DP (Bangu), que a vistoria foi realizada na Galeria B, nas celas de número 10 a 14.

Corrida contra o prejuízo:   ‘Faraó dos bitcoins’ é alvo de quase 300 ações de clientes na Justiça do Rio

PUBLICIDADE Após a varredura, o secretário de Administração Penitenciária, Fernando Veloso, determinou que o diretor, o subdiretor e o chefe da segurança da unidade fossem exonerados. Na semana anterior, a Seap já havia localizado aparelhos celulares na cela vizinha à de Glaidson .

Estratégia:   ‘Faraó dos bitcoins’ planejava matricular a mulher em universidade americana para conseguir visto e deixar o Brasil

Fontes afirmam que, nos bastidores da pasta, circulava a informação de que cada telefone estaria sendo oferecido ao ex-garçom por R$ 50 mil, de modo que ele pudesse continuar tocando os negócios de dentro da cadeia. Esse relato, contudo, não foi confirmado até o momento.

Suspeita:  Polícia Civil vê indícios de que esquema do ‘faraó dos bitcoins’ lavava dinheiro para o tráfico de drogas

A descoberta da carne e dos celulares foi a principal razão para que Glaidson fosse transferido para a unidade de segurança máxima. Além disso, o episódio também serviu como fundamento para que a Polícia Federal (PF) pedisse a ida do preso para uma penitenciária federal , devido ao grande poderio financeiro do empresário.

Informação em grampo:   Esposa do ‘faraó dos bitcoins’ seguiu tocando negócios de Miami após prisões e chegou a sacar R$ 1 bilhão

PUBLICIDADE Glaidson está preso desde 25 de agosto sob a acusação de ter montado um esquema milionário fraudulento de pirâmide financeira. Na última terça-feira, o «faraó dos bitcoins», sua mulher e sócia, a  venezuelana Mirelis Yoseline Diaz Zerpa, que se encontra foragida, e outras 14 pessoas foram denunciadas pelo Ministério Público Federal (MPF) por crime contra o sistema financeiro nacional e organização criminosa.

Más de tips Femeninos