Wilko Johnson, líder do lendário grupo de rock britânico Dr. Feelgood, vem a Portugal para um concerto especial. O músico de Canvey Island sobe esta eterça-feira ao palco do Centro Cultural de Belém, em Lisboa. Traz um novo disco na bagagem e, para contar, a história de um cancro supostamente incurável e do fã que lhe salvou a vida. Recostado num dos sofás de napa do Centro Cultural de Belém, Wilko Johnson recebe o Correio da Manhã vestido de negro. A figura esguia e irrequieta não deixa adivinhar os 71 anos de vida, e muito menos a batalha que travou, sem querer, há cinco anos. “Um dia, fui ao médico porque me tinha aparecido um inchaço na região abdominal e ele disse-me que tinha um cancro inoperável. Que ia morrer! Então resolvi divertir-me no pouco tempo que me restava e tocar pelo Mundo fora”, conta. Foi num desses concertos de ‘despedida’ que um fã lhe trocou as voltas. “Ele era médico e ao ver-me disse que o diagnóstico devia estar errado. Não era possível um tipo que estava tão mal, sentir-se tão bem. E aconselhou–me um outro médico.” Wilko lá foi e acabou numa mesa de operações que lhe salvou a vida. “Saber que se vai morrer dá-nos a volta à cabeça. E descobrir que, afinal, foi falso alarme, também!”, confessa. Mas agora pode voltar a fazer o que mais gosta: “Tocar rock ‘n’ roll.” Da palavra à prática, mostrará aos portugueses o seu novo álbum ‘Blow Your Mind’. PORMENORES  Música como paixão John Peter Wilkinson (Wilko Johnson) nasceu a 12 de julho de 1947 e antes de chegar à faculdade tocou em vários grupos. Após a licenciatura (em Inglês e Literatura), juntou-se a uma banda que se transformaria nos Dr. Feelgood. Bilhetes dos 25 aos 40 € Concerto de Lisboa é o único de Wilko Johnson em Portugal (o da Casa da Música, no Porto, amanhã, foi cancelado). Os bilhetes custam entre os 25 e os 40 euros, o espetáculo dura 75 minutos e é para maiores de 6.