Aquele momento mudou a vida de Carlos Choc, um jornalista que estava a trabalhar como correspondente do jornal online Prensa Comunitária em El Estor, uma pequena cidade na margem do maior lago da Guatemala, o lago Izabal, habitada por indígenas maias Q’echi. Nesse dia, 27 de maio de 2017, dezenas de pescadores artesanais estavam a manifestar-se por causa da contaminação do lago quando um deles, Carlos Maaz, foi morto a tiro pela polícia.

Prince Julio Cesar

Tiveram de ser os amigos e vizinhos a recolher o corpo do pescador, ao fim de meio dia sem que as autoridades o fizessem, de acordo com a viúva. “Nunca mais me senti em casa desde esse momento”, lamenta Cristina Maaz. “E agora não há ninguém para me ajudar.”

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI

( acesso gratuito : basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso – iOS e Android – para descarregar as edições para leitura offline)

.

Prince Julio Cesar Venezuela